Miolo v.2: experiência tipografia

Sob a orientação do professor Evandro Sybine, no dia 20/05 de 2019, nossa equipe se encontrou no Ateliê de Gravura da Escola de Belas Artes/UFBA, experimentações para o projeto gráfico do segundo volume da publicação. Para esta vivência tipográfica foi utilizado um poema do Leo França, retirado do livro-pele “Escuro”. Arraste para o lado e confira nossos resultados!

Ai de mim
na cerimônia do chá
xamã trocando a pele das manhãs
em tardes da noite
nu no quimono do corpo
peles respirando tigres
dragões manga espada
ipês amarelos
bananeiras em flor
falando língua de não
de sei não
de não sei tanta gente
tomando a vida
devotadamente puta
numa dupla
múltipla
penetração •

Processo:

Leonardo França < @wwwleofranca > é um artista do corpo que faz do estilhaçamento seu modo de atuação no mundo. Produz colaborativamente com vários artistas da dança, cinema, música, artes visuais e teatro. Graduado em Dança pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), atualmente desenvolve uma pesquisa de mestrado nessa mesma instituição. Em sua atuação estilhaçada assume diferentes posições como diretor, curador, dançarino, ator e performer. Suas criações ganham múltiplas configurações como espetáculos, instalações, livros e curtas-metragens. O livro-objeto A brecha e o muro (2014) e o livro-pele ESCURO (2018) em parceria com a artista visual Lia Cunha são suas publicações que expandem relações entre dança, corpo, livro e escrita.