O que é a Tiragem?

A Tiragem: laboratório de livros é um projeto de extensão permanente que integra o programa Design Griot: memória e poéticas. É um coletivo, formado em 2014, que atua como um selo editorial focado na publicação de livros experimentais. Dedica-se a reunir artistas multilinguagens, designers, autores e autoras interessadas em investigar as possibilidades de expressão artística por meio do objeto-livro. Realiza pesquisas ligadas à memória gráfica e às poéticas do livro de artista soteropolitano. Com o intuito de incentivar a produção e facilitar o acesso ao livro produzido como obra de arte, a Tiragem articula ainda, ações extensionistas que promovem diálogos entre a academia — docentes e discentes —, e principais atores do cenário do livro na capital baiana.

Início:

A Tiragem surge em torno da produção do livro Experimento Zero: notações gráficas e serigrafia. Uma publicação sobre notações gráficas musicais, com gravuras em serigrafia realizada por um coletivo formado organicamente por artistas de diferentes linguagens. Com diferentes níveis de envolvimento e participação, naquele primeiro momento colaboraram com a formação do projeto: Adriel Figuêredo, Bianca Portugal, Cristiano Figueiró, Cristiano Piton, Daiane Oliveira, Felipe Brito, Fernando Lopes, Flávia Bomfim, Juliana Rangel, Lia Cunha, Maíra Moura Miranda, Pedro Filho Amorim, Raíssa Ribeiro, Tamires Lima, Taygoara Aguiar, Tiago Ribeiro e Zé de Rocha.

Entre 2014 e 2015 este coletivo participou de eventos de arte impressa, como a Feira Tijuana (SP) e o Festival de Literatura (BA). Entre 2015 e 2016, durante os esforços para a finalização e lançamento de seu primeiro livro, seus integrantes esteveram presentes também na feira Tabuão (BA) e na Tijuana (RJ) apresentando o andamento do projeto.

Coletividade e multilinguagens:

O Experimento Zero evidenciou a vocação da Tiragem para o trabalho coletivo e o trânsito entre diferentes linguagens artísticas. O lançamento do primeiro livro deste selo editorial foi uma parceria com o Teatro Vila Velha e a Plataforma Largo. Por intermédio e organização de Lia Cunha — uma das fundadoras da Tiragem e integrante da Plataforma Largo —, no dia 30 de maio de 2016 foi realizada uma leitura expandida (concerto musical) das notações gráficas contidas no livro Experimento Zero. Dessa leitura pública, executada pelo grupo Beto Júnior, foi gravado um CD em parceria com o Sê-lo! Netlabel.

Poéticas, design e livros de artista:

Após o lançamento do primeiro livro do coletivo, em maio de 2016, a Tiragem se torna um laboratório de investigação de processos criativos para a tese do professor Taygoara Aguiar, coordenador do projeto que ingressou naquele mesmo ano no doutorado do PPGAV/EBA. Com o título de Encruzilhadas: design, poéticas e livros de artista esta pesquisa buscou refletir — no campo da formação em design e artes visuais — sobre as relações entre a investigação poética individual e os modos de fazer baseados na coletividade e na desconstrução do pensamento colonial. O livro Marear e a revista Miolo foram contribuições práticas desta tese realizada entre 2016 e 2021.

Marear:

Editado em 2018, o livro de artista Marear é uma cartografia afetiva, realizada por Taygoara Aguiar, composta por imagens de embarcações pesqueiras e de passeio em portos de Salvador: Plataforma, Solar do Unhão, Porto da Barra e Ilha de Maré. Foi viabilizado através de parceria com a Incubadora de Publicações Gráficas da Galeria RV Cultura e Arte e contou com o apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura.

Revista Miolo v.01

Revista Miolo:

Em 2017, a Tiragem buscou expandir suas atividades, com o apoio da linha “Variações” do edital PAEXDoc, por meio de um desdobramento: a criação de um núcleo voltado à experimentação em publicações periódicas — fortalecendo as articulações entre a prática extensionista e a pesquisa acadêmica. Assim nasce a revista Miolo. Criada em parceria com estudantes da EBA/UFBA, a revista teve seu primeiro número lançado no Congresso da UFBA, em out/2018, com tiragem impressa de 100 exemplares.

Revista Miolo v.02

Desde então, a Tiragem se esforça para aperfeiçoar a proposta da publicação: ser uma revista-escola na qual etudantes, professores e outros profissionais possam aprender enquanto materializam o periódico. Esse modo de fazer, apesar de ser puramente intuitivo, aos poucos se constituiu como um método e uma característica marcante do projeto editorial da revista. A Miolo encontra-se atualmente no seu terceiro volume e é hoje o principal ponto de contato entre a Tiragem e os designers e artistas locais. Através do trabalho colaborativo e voluntário de pessoas de dentro e fora da academia, a revista constitui-se em um espaço aberto para experimentações de poéticas coletivas orientadas por artistas do livro. Neste sentido, a parceria com a artista e pesquisadora Lia Cunha, da editora Duna, foi fundamental para estabelecer, entre 2019 e 2022, as bases do projeto editorial da Miolo e abrir caminhos para a aproximação da equipe da revista com a comunidade artística.

Registro e Memória: acervo Poligrafia

A Tiragem busca incentivar pesquisas relacionadas à produção de livros experimentais em Salvador. Neste sentido abriga um acerv online deste tipo de produção, criado durante a realização da já citada tese Encruzilhadas. Intitulado “Poligrafia” este acervo é constituído por uma coleção, devidamente catalogada, de fotografias e vídeos de livros-obras produzidos em Salvador. O acervo Poligrafia já conta com uma parcela representativa de títulos e tem a escalabilidade e acessibilidade como principais metas. Neste sentido, a coleção é constantemente atualizada com a ajuda da comunidade de editoras locais e pode ser acessada aqui no site.

Acervo Poligrafia

Selo editorial:

Atualmente, além de concentrar esforços em torno da coleção Poligrafia e em pesquisas sobre as poéticas do livro soteropolitano, a Tiragem busca se consolidar como um selo editorial e segue publicando obras em parceria com editoras e artistas locais.